Problemas jurídicos que a falta de pagamento de aluguel pode causar

Leia o nosso artigo e tire suas dúvidas!

Imagem: Freepik

De acordo com a lei do arrendamento, uma das obrigações do arrendatário é o pagamento atempado da renda e demais encargos acordados no contrato de arrendamento (condomínio, IPTU, etc.). O não pagamento do aluguel em dia causa ao Locatário uma série de consequências. O primeiro é o aumento da dívida, pois o valor devido está sujeito a indenização em dinheiro, multa e juros de mora. Normalmente, um contrato de arrendamento inclui uma taxa de compensação monetária para esses pagamentos atrasados. Tipicamente no mercado de aluguel de imóveis, o IGP-M / FGV é utilizado na Relação de Atualização Monetária, com juros de mora de 1% ao mês e multa de 20%, na locação de imóveis.

Além das penalidades acima indicadas, o locatário ainda está sujeito a determinadas medidas que a lei permite que o locador aproveite, como protestos contra um empréstimo e ações judiciais de recuperação e / ou despejo. A utilização desses mecanismos pelo locador do imóvel é certa que para o locatário significará um aumento maior do seu débito, pois afetará o valor original, além de atrasos no pagamento, custas de protesto, custas judiciais e honorários advocatícios.

Como você pode ver, atrasar o aluguel não é uma transação interessante. Portanto, se houver dificuldades para pagar o aluguel (estamos todos expostos a circunstâncias imprevistas), é ideal que o inquilino avise o locador com antecedência e tente fechar um contrato para que ele pague pelo menos parte do valor além de negociar o aluguel, mantendo o equilíbrio de forma que o locador consiga o mínimo de prejuízo possível (claro que o locador tem esse dinheiro), demonstrando assim a intenção de não criar transtornos futuros.

Por fim, outra nova consequência no ordenamento jurídico é que, em recente decisão do Supremo Tribunal Federal, o Supremo Tribunal Federal determinou a apreensão de 10% da remuneração do locatário que não cumpriu em dia sua obrigação de pagamento. Isso significa que a jurisprudência foi moldada neste sentido, ou seja, a partir de agora, o valor da remuneração do devedor pode ser retido para a liquidação da dívida do aluguel de apartamento no Bigorrilho ,por exemplo,  o que antes não era possível.

Portanto, essa decisão deve servir como um alerta para aqueles que estão com o aluguel atrasado e ainda precisam se manifestar para consertar o problema. É aconselhável conhecer a situação atual da dívida para com o Locador e / ou o Imobiliário, sob pena de ser surpreendido por um bloqueio salarial. Lembre-se que o proprietário está em busca de uma relação de confiança ao alugar um imóvel. Portanto, é importante que, em caso de inadimplência, haja comunicação prévia e busca de acordo para que haja incentivo a um relacionamento saudável, principalmente porque a relação entre as partes do arrendamento costuma perdurar por muito tempo.

Uma das primeiras coisas a seguir é a duração do contrato, que pode ser por um período fixo ou indefinido. No caso de contrato celebrado por prazo determinado, a prorrogação ocorre automaticamente após o termo do prazo, se nenhuma das partes se opuser à prorrogação. Em casos não especificados, é rescindido em caso de não pagamento do aluguel ou de outras taxas. Tanto os inquilinos quanto os proprietários precisam prestar atenção às devoluções de propriedade. Em 2010, a Lei do Arrendamento alterou o texto original, pelo que foi acordado que o prazo de devolução, que anteriormente podia ser diferido para um máximo de três anos, foi reduzido para um máximo de 45 dias. Você tem 30 dias para despejar sua casa – a lei anterior era de seis meses. Em contratos não garantidos, o inquilino que não paga aluguel pode ser solicitado a desocupar o local no prazo de 15 dias.

Direitos do inquilino

Entrega das chaves: o locador deve entregar o imóvel em bom estado ao locatário e é responsável pela correção de eventuais problemas e defeitos antes da locação. Quando um imóvel alugado é entregue ao locador, geralmente é feita uma vistoria para ver se o meio ambiente tem condições de devolvê-lo. Vale a pena prestar atenção, pois é o proprietário ou corretor de imóveis que intermediou o aluguel que decide se o imóvel está pronto para ser cobrado, portanto, preste atenção na descrição do imóvel no contrato.

Taxas Administrativas: Se o imóvel for alugado por meio de imobiliária, o locador paga taxas administrativas e de corretagem, como verificação da idoneidade do locatário ou fiança. Os impostos, taxas e o prêmio adicional do seguro contra incêndio devem ser pagos pelo proprietário, a menos que o contrato estipule que esses custos serão cobertos pelo locatário.

Custos do condomínio: o proprietário também arca com as despesas extraordinárias do condomínio, como reforma ou ampliação de toda a estrutura do imóvel; pintura de fachadas, iluminação e caixilharia externa; e instalação de equipamentos de segurança e proteção contra incêndio. O proprietário do imóvel locado também é responsável pela remuneração do trabalho e previdência social dos empregados ocorrida antes do início do arrendamento.

As obrigações do inquilino

Aluguel: Pague o aluguel e alugue dentro do período especificado.

Cuide da propriedade: Cuide de sua residência como se fosse sua. Ao devolvê-lo, o estado do imóvel deve corresponder ao prazo de entrega.

Danos: Se a propriedade for danificada ou com defeito, o inquilino pode notificar o proprietário imediatamente. Se o dano foi causado pelo inquilino, dependentes, familiares e convidados, ele é o responsável pela reparação.

Modificações: É proibido fazer alterações no interior ou exterior do imóvel alugado sem o consentimento prévio por escrito do locador.

Gostou do artigo? Então compartilhe em suas redes sociais, para que mais pessoas saibam quais são os problemas jurídicos que a falta de pagamento de aluguel pode causar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *